booki

-20%

Instalações Hidráulicas Prediais Utilizando Tubos Plásticos - 4.ª Edição

ISBN: 9788521208235

Autores: Manoel Henrique Campos Botelho, Geraldo de Andrade Ribeiro Junior

Editora: BLUCHER.

Número de Páginas: 407

Idioma: Português (do Brasil)

Data Edição: 2014

40,10 €50,12 €
Poupa: 10,02 € | desconto de 20,0%

Este manual procura dar todas as informações conceituais e profissionais para o projeto, a construção, o uso e a manutenção de instalações hidráulicas prediais, usando tubos de PVC e PPR.
1 O Sistema Predial de Água Fria
1.1 Fontes de abastecimento
1.2 Sistemas de distribuição
1.2.1 Direto (da rede pública até os pontos de utilização, sem reservatório)
1.2.2 Indireto (com reservatório)
1.2.3 Indireto hidropneumático
1.2.4 Misto
1.2.5 Caso particular de edifícios altos
1.3 Componentes e características de um sistema predial de água fria
1.3.1 Ramal predial ou ramal de entrada predial (ramal externo)
1.3.2 Alimentador predial (ramal interno)
1.3.3 Reservatório
1.3.4 Barrilete
1.3.5 Colunas de distribuição
1.3.6 Ramais e sub-ramais
1.3.7 Peças de utilização e aparelhos sanitários
1.3.8 Instalação elevatória
1.4 Projetos
1.4.1 Considerações gerais
1.4.2 Etapas do projeto
1.4.3 Tipo e características da edificação
1.4.4 Consumo
1.4.5 Fonte de abastecimento
1.4.6 Sistema de distribuição
1.4.7 Reservação/Reservatórios
1.4.8 Tubulações
1.5 Dimensionamento
1.5.1 Consumo
1.5.2 Ramal predial
1.5.3 Hidrômetro
1.5.4 Alimentador predial
1.5.5 Reservatórios
1.5.6 Tubulações
1.5.7 Sub-ramal
1.5.8 Ramal
1.5.9 Coluna
1.5.10 Barrilete
1.5.11 Verificação da pressão
1.6 Cuidados de execução
1.6.1 Tubulações e acessórios em geral
1.6.2 Recomendações gerais
1.6.3 Manuseio e estocagem
1.6.4 Transposição de juntas de dilatação da edificação
1.6.5 Apoio de tubulações
1.6.6 Alimentador predial
1.6.7 Ligação de aparelhos
1.6.8 Caixa de descarga
1.6.9 Colunas
1.6.10 Barrilete
1.6.11 Peças de utilização

2 Projeto e Execução de Instalações de Água Quente
2.1 Conceitos gerais
2.2 Equipamentos, materiais e fontes de energia
2.3 Critérios de projeto de instalação de sistema de distribuição de água quente
2.4 Exemplo de dimensionamento de ramais principais de um sistema de água quente para uma clínica, usando o critério de pesos
2.5 O uso do material PPR (tubos e conexões)
2.5.1 Método de instalação
2.5.2 Recomendações de projeto
2.5.3 Tabelas de dimensionamento de sistemas hidráulicos para tubos PPR
2.5.4 Dilatação térmica
2.6 Problemas resolvidos
2.7 Manutenção de um sistema de água quente
2.8 Notas técnicas complementares
2.8.1 Queimaduras
2.8.2 Água quente para uso termal
2.8.3 O paradoxo da água quente de poços profundos e seu uso em sistemas de abastecimento público
2.8.4 Curiosidade - chuveiro elétrico
2.8.5 Anos 1960
2.8.6 Dispositivo criativo em hospital público de São Paulo
2.8.7 Prédios
2.8.8 Curiosidades
2.8.9 Sistema de recirculação de água quente
2.9 O uso do material PEX - tubos e conexões
2.9.1 O Sistema Amanco PEX
2.9.2 Vantagens da utilização do Sistema PEX
2.9.3 Características técnicas
2.9.4 Instalação
2.9.5 Transporte e estocagem
2.9.6 Produtos
2.10 O uso do material CPVC - tubos e conexões
2.10.1 A linha Amanco CPVC
2.10.2 Vantagens da utilização da linha CPVC
2.10.3 Características
2.10.4 Instalação
2.10.5 Produtos Amanco Ultratemp CPVC3 O Sistema Predial de Esgotos Sanitários
3.1 Conceitos gerais
3.2 Componentes e características do sistema predial de esgotos
3.2.1 Desconectores, sifões e caixas
3.2.2 Aparelho sanitário
3.2.3 Ramal de descarga
3.2.4 Ramal de esgoto
3.2.5 Tubo de queda
3.2.6 Caixa de gordura
3.2.7 Caixa de inspeção
3.2.8 Subcoletor e coletor predial
3.2.9 Ventilação
3.2.10 Disposição final
3.2.11 Instalações abaixo do nível da rua
3.3 Critérios e especificações para projeto
3.3.1 Considerações gerais
3.3.2 Etapas do projeto
3.3.3 Tipos e características da edificação
3.3.4 Recomendações gerais para projetos
3.4 Dimensionamento
3.4.1 Generalidades
3.4.2 Ramal de descarga
3.4.3 Ramal de esgoto
3.4.4 Tubo de queda
3.4.5 Coletor predial (e subcoletor)
3.4.6 Ventilação
3.4.7 Elementos acessórios
3.5 Fossa séptica
3.5.1 Considerações gerais
3.5.2 Definição
3.5.3 Recomendações gerais para projeto
3.5.4 Dimensionamento
3.6 Cuidados de execução
3.6.1 Recomendações gerais
3.6.2 Tubulações
3.6.3 Caixas de inspeção
3.6.4 Caixas de gordura
3.6.5 Caixas sifonadas/ralos
3.6.6 Ventilação
3.6.7 Tubo de queda
3.6.8 Coletor predial
3.6.9 Ligação de esgoto
3.6.10 Assentamento de tubulações

4 O Sistema de Águas Pluviais
4.1 Amplitude do estudo
4.1.1 Definições
4.2 Elementos de hidrologia
4 4.3 A NBR 10844/89 e os elementos hidrológicos
4.3.1 Calhas
4.3.2 Condutores
4.3.3 Utilização de águas pluviais para uso doméstico a partir de cisternas
4.4 Águas pluviais em marquises e terraços - buzinotes
4.4.1 Materiais a usar
4.5 Particularidades dos sistemas pluviais
4.5.1 Água para frente ou para trás
4.5.2 Jogando água do telhado em telhado
4.5.3 Água despejada em transeunte
4.5.4 Água levada para local indevido
4.5.5 Uma solução, algo precária (mas criativa), quando chega a inundação
4.5.6 Um microssistema pluvial predial
4.5.7 Mau destino das águas de um coletor pluvial
4.5.8 Águas pluviais carreiam areia
4.5.9 Calhas a meia-encosta5 PVC. O Material e os Tubos
5.1 Características e usos
5.1.1 Pressões
5.2 Juntas
5.2.1 Água fria
5.2.2 Esgoto
5.2.3 Execução das juntas
5.2.4 Junta rosqueada
5.2.5 Junta elástica
5.3 Cores
5.4 Diâmetros
5.5 Normas
5.6 O PVC e o meio ambiente
5.7 Tubo de plástico PPR-Amanco
5.7 Tubulações plásticas, vida útil e custo benefício

6 Sistemas Elevatórios
6.1 Introdução
6.2 Tipos
6.2.1 Sistema com bombas centrífugas
6.2.2 Sistema hidropneumático
6.3 Projetos
6.3.1 Critérios e especificações para projeto
6.4 Dimensionamento
6.4.1 Sistema com bomba centrífuga
6.4.2 Sistema hidropneumático
6.5 Sistema de bombeamento de esgotos
6.5.1 Caixa coletora
6.5.2 Bombas
6.6 Sistema de bombeamento de águas pluviais
6.6.1 Caixa coletora
6.7 Cuidados de execução

7 A Arquitetura e os Sistemas Hidráulicos
7.1 Interferências arquitetônicas
7.2 Arquitetura de sanitários
7.3 Ruídos no sistema hidráulico
7.4 Adaptações para deficientes físicos
7.5 As águas pluviais e a beleza da arquitetura
7.6 Arquitetura e funcionamento de sanitários públicos

8 Qualidade das Instalações
8.1 Considerações gerais (planejamento, projeto, execução e manutenção)
8.2 Execução
8.2.1 Considerações gerais
8.2.2 Controle e fiscalização de execução
8.2.3 Testes de recebimento
8.2.4 Água fria
8.2.5 Esgotos sanitários
8.2.6 Águas pluviais

9 Lista de Materiais, Orçamento
9.1 Lista de materiais
9.2 Custos
9.2.1 Considerações gerais
9.3 Orçamentos

10 Manutenção e Cuidados de Uso
10.1 Considerações gerais
10.2 Tipos
10.2.1 Manutenção preventiva
10.2.2 Manutenção corretiva
10.3 Verificação de vazamentos
10.3.1 Como verificar vazamentos
10.4 Procedimentos de manutenção
10.4.1 Água fria
10.4.2 Esgotos sanitários
10.4.3 Águas pluviais
10.4.4 Manual de operação e manutenção

11 Apresentação de Projetos
11.1 Memorial descritivo
11.2 Memorial de cálculo11.3 Especificações de materiais e equipamentos
11.3.1 Relação de materiais e equipamentos
11.4 Desenhos
11.4.1 Água fria
11.4.2 Esgoto
11.4.3 Águas pluviais

Anexos
A1 A água: da natureza até os usuários
A1.1 Conceitos
A1.2 Água potável
A2 Esclarecendo questões de Hidráulica
A2.1 Pressão atmosférica
A2.2 Pressão estática
A2.3 Pressão dinâmica
A2.4 Exercícios numéricos para ajudar a entender os conceitos
A2.5 Curiosidades hidráulicas
A3 Normas e legislações complementares
A3.1 Normas Técnicas da ABNT
A3.2 Legislações federais, estaduais e municipais
A4 Unidades e conversões
A4.1 Informações adicionais
A5 Odores nos banheiros
A6 Declaração universal dos direitos da água
A7 Dia do instalador hidráulico
Bibliografia
Comunicação com os Autores
Manoel Henrique Campos Botelho
Engenheiro Civil, formado em 1965 na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, tendo se especializado em projetos civis e hidráulicos. Especializou-se também, como autor de livros técnicos entre os quais a Coleção Botelho, com seu livro inicial "Concreto Armado - Eu te Amo"

Geraldo de Andrade Ribeiro Junior
O Engenheiro Geraldo de Andrade Ribeiro Junior é formado pela Escola de Engenharia Mackenzie e tem invulgar experiência em projeto, construção e manutenção de instalações hidráulicas prediais, pois liderou a manutenção de instalações prediais de centenas de agências de importante estatal.