booki

 

Organização e Gestão de Obras - Otimizar Resultados

ISBN: 9789897232121

Autor: Joaquim Cândido Castelo e Veiga Ribeiro

Editora: PUBLINDUSTRIA..

Número de Páginas: 174

Idioma: Português

Data Edição: 2017

16,11 €17,90 €
Poupa: 1,79 €

“Organização e Gestão de Obras – Otimizar Resultados” é um guia de orientação para reflexão sobre a gestão ao longo de todo o processo de construção de uma obra, procurando auxiliar o diretor de obra nessa importante tarefa de gestão de uma empreitada.
Este livro pretende servir estudantes e recém-formados em engenharia, numa ótica de transmitir os princípios fundamentais da organização e gestão de uma empreitada, mas serve também o interesse de engenheiros seniores, como auxiliar para implementação nas suas organizações de métodos adequados de gestão, sempre com o objetivo de otimizar os resultados.
Procura transmitir a visão da obra como um negócio, em que não é apenas importante atender aos aspetos técnicos de uma boa construção, mas também às questões da segurança, qualidade,
prazos e rentabilidade. Assim, ao longo do texto, o leitor é encaminhado a refletir sobre os princípios fundamentais da gestão de uma obra, que é a tarefa responsável pela organização e administração dos recursos de modo a que se realize todo o trabalho necessário para a sua concretização, no tempo e orçamento pré-definidos.
Tendo em conta esta abordagem, são tratados aspetos técnicos da gestão, como também comportamentais, já que a gestão depende fundamentalmente da atitude que temos perante a nossa atividade. Procura-se, desta forma, transmitir ao leitor princípios fundamentais a serem presentes no dia a dia de um diretor de obra, para garantir uma adequada organização e gestão do seu negócio (obra).
Assim, o capítulo 1 dá uma perspetiva das razões que levaram o autor a escrever o livro e os objetivos que se pretendem. O segundo capítulo aborda os conceitos de gestão e gestor, tentando enquadrar o leitor quanto ao desenvolvimento dos capítulos seguintes. No terceiro capítulo é definido o perfil do diretor de obra, como líder de uma equipa e primeiro responsável pelo negócio. De seguida, é dedicado um capítulo à descrição do processo de negócio. No
capítulo quinto são analisadas as ferramentas de gestão, procurando-se apresentar exemplos práticos. Por fim, no capítulo seis, coloca-se a questão “o que se pretende de um diretor de
obra?”, tendo em conta tudo o que foi antes desenvolvido.

Prefácio
Prólogo
Agradecimentos
1. Preâmbulo
2. Gestão e Gestor
3. Perfil do Gestor de Obra
4. Processo do negócio (obra)
4.1. Fases do negócio
4.2. Prepara ção inicial de obra
4.2.1. Planeamento da construção

Plano de Trabalhos
Planeamento de Recursos necessários
Recursos Humanos
Recursos de máquinas e equipamentos
Recursos de materiais
Recursos Financeiros
Planeamento de fornecimentos e subempreitadas
Planeamento de stocks
Logística e outros aspetos particulares

4.2.2. Instrumentos de base à gestão e controlo da obra

Projeto da obra e respetivo contrato
Legislação aplicável em vigor
Plano de segurança e saúde
Plano de trabalhos acordado com o dono de obra
Plano de controlo de qualidade
Os procedimentos da empresa
O reorçamento
O Mapa de Controlo de Gestão (MCG)
A contabilidade, nomeadamente o balancete contabilístico da obra em cada período
O Relatório Mensal de Obra (RMO)
O controlo das adjudicações de fornecimentos e subempreitadas

4.2.3. Organização do estaleiro e metodologias de controlo

Definição de estaleiro
Componentes de um estaleiro
Critérios a ter em conta no estudo e organização do estaleiro
Análise diagnóstico para a definição da organização do estaleiro

4.2.4. Reorçamento da obra
4.3. Construção com controlo de gestão
4.4. Pós-venda
5. Aplicação das principais metodologias propostas e ferramentas de gestão de obra, exemplos práticos
5.1. Reorçamento, ou Plano de Negócios da Obra

Capa ou folha de rosto
Introdução ao reorçamento
Descrição do negócio
Planeamento da obra
Estratégia de gestão do negócio
Avaliação de proveitos e custos
Plano de ações para melhoria do resultado
Conclusões finais
Anexos

5.2. Mapa de Controlo de Gestão

Dados da obra
Plano de contas
Descrição dos trabalhos conforme articulado ou por associação de artigos
Lista de quantidades
Códigos do plano de contas
Custos unitários de fabrico (“secos”) constantes do reorçamento
Preços unitários de venda
Distribuição das quantidades mensais
Descrição dos custos indiretos de estaleiro e sua quantificação ao longo tempo, conforme plano de trabalhos
Indicação do índice de revisão de preços
A quantidade total dos trabalhos para cada artigo ou conjunto de artigos, conforme explicito na alínea “a” dos inputs
O custo direto correspondente a cada artigo ou conjunto de artigos conforme explicito na alínea “a” dos inputs
O custo direto, de acordo com o plano de contas elaborado na alínea “c” dos inputs
Os proveitos, de acordo com o plano de contas elaborado na alínea “c” dos inputs
O custo indireto de estaleiro correspondente a cada parâmetro considerado
O cronograma de custos diretos e indiretos de estaleiro, com a descrição mês a mês
Cronograma dos custos de acordo com o plano de contas
Cronograma com o resumo dos proveitos e custos ao longo do prazo da obra
As quantidades do plano de trabalhos de acordo com o plano de contas definido

5.3. Utitização do Mapa de Contro lo de Gestão para replaneamento da obra
5.4. Controlo diário de prod ução
5.5. RMO – Relatório Mensal de Obra

1. Identificação da obra
2. Período de análise
3. Condições do contrato
4. Datas importantes da obra
5. Valores adicionais acumulados
6. Valor total final previsto
7. Controlo económico da obra
8. Posição dos trabalhos e prazos
9. Evolução económica-financeira e projeções
10. Evolução da produção
11. Grau de acabamento
12. Relação com o cliente e fiscalização
13. Anexos

5.6. Plano de Trabalhos
6. Considerações finais

Joaquim Cândido Castelo Veiga Ribeiro
Nasceu em Moçambique em 1960, licenciou-se em Engenharia Geotécnica pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto e concluiu o grau de Mestre em Georecursos pelo Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa em 2001, defendendo a tese subordinada ao tema “Uma contribuição para a utilização de xistos em camadas de leito de pavimento”.

Iniciou a atividade profissional em empresas do setor da construção civil e obras públicas em 1986, tendo participado até ao momento em algumas das maiores obras públicas de construção de Portugal, tais como o programa das concessões rodoviárias em regime de PPP, a construção da Barragem do Baixo Sabor e o lançamento do projeto ferroviário de alta velocidade TGV, acompanhando não só a respectiva gestão operacional e funcional, mas também a administração do negócio.
A sua experiência profissional tem-se desenvolvido em Portugal e em vários países estrangeiros, dos quais se destaca pelo volume de negócios e duração, Moçambique, Angola e Argélia, onde tem desempenhado funções de gestão de topo e de administrador executivo.

Esta vivência de mais de 30 anos a nível nacional e internacional confere-lhe know how nas áreas de project management, organização e desenvolvimento empresarial, gestão internacional e administração de empresas.
Tem como hobby a fotografia e o gosto pela leitura e escrita.